Sua roupa, define sua carreira?


Dress code é a expressão para definir uma vestimenta adequada a um evento ou lugar. Socialmente, você já deve ter recebido convites para casamentos ou exposições em que são informados se o traje é “esporte fino”, “rigor” ou “passeio completo”. Nas empresas não é diferente. De acordo com o cargo, a função, relacionamento com clientes e mesmo a atividade, há uma variação no dress code que pode, inclusive, determinar sua permanência naquele ambiente.

O fato é que desde o boom da internet na década de 90, o dress code passou a ser destacado como uma forma de viver, de comportamento, criatividade e adequação. Os nerds trouxeram um estilo que virou alvo de inveja da maioria dos profissionais: trabalhar com roupas mais confortáveis, tênis, jeans, bermudas e camisetas diversas. A quase obrigatoriedade do casual day, por exemplo, é consequência dessa nova demanda por mais informalidade.

Mas há quem também aprecie o bom corte de um terno ou tailleur. Um salto alto e aquela barba impecável. Desde que tudo esteja adequado à cultura da sua empresa, beleza. Mas nem sempre é assim: muitas vezes o Casual Day é confundido com baile funk, e a reunião mensal com chefe o red carpet de Hollywood.



Segundo Glória Kalil, uma das stylists mais famosas do país, o ideal seria que toda empresa, no ato da entrevista de seleção, já informasse qual o dress code da organização. Isso evitaria muitas gafes. Mas infelizmente é uma raridade.

Para Juliana Hirschmann, stylist há 15 anos, se não há informação, a estratégia é observar como as pessoas na empresa se vestem. “E ter bom senso. Se você é advogado, não dá pra usar o terno rosa do designer Karim Rashid, por exemplo. Um tubinho todo pink pode ir bem a uma empresa de moda, mas não em uma instituição financeira”, observa Juliana.

O desafio é fazer seu estilo dentro desse padrão da empresa. “O básico ganhou muitas nuances interessantes, cortes diferenciados nas mangas, cores diferentes tanto para homens como mulheres”, conta.

Com a escassez de talentos, a questão do dress code tem se tornado decisivo também para quem está “escolhendo” seu emprego. Muitos profissionais qualificados optam por determinadas empresas justamente por conta de um estilo mais informal. Simplesmente não abrem mão de um bom tênis no dia-a-dia, ou moças elegantes que curtem o salto 10 e um clima mais mulher poderosa. E você, o que pensa sobre dress code?

VIA

Ele é Blogueiro, Designer gráfico e Palestrante... Auditório, ele é bom ou não é?!?!?

COMPARTILHAR

POSTAGENS RELACIONADAS

Próxima
« Voltar
Anterior
Próxima »
A reprodução do conteúdo deste blog é permitida e incentivada, desde que citada e linkada a sua fonte.
Todas as postagens aqui são linkadas.