Vendedor ganha R$ 10 mil por cabeça raspada no trabalho


A Justiça decidiu que um funcionário que teve a cabeça raspada em uma comemoração no trabalho deve receber R$ 10 mil de indenização de seu antigo empregador por danos morais.

O valor foi estipulado pela Quinta Vara do Trabalho de Belém (PA), do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 8ª Região (Pará e Amapá), e confirmada pela Terceira Turma do TST (Tribunal Superior do Trabalho).

O vendedor havia pedido inicialmente R$ 100 mil por danos morais e recorreu da decisão para tentar elevar a indenização, mas teve seu pedido negado pela relatora do recurso, a magistrada Maria das Graças Laranjeira, que foi acompanhada por unanimidade por seus pares.

Na avaliação de Laranjeira, a reparação pelo dano moral sofrido tem caráter educativo e visa a ressarcir o empregado pelo dano que lhe foi causado.


Ele foi demitido em julho de 2008 após trabalhar por três anos para a empresa. Ao entrar na Justiça, pediu, entre outras coisas, indenização de R$ 100 mil pelo episódio.

Segundo o trabalhador, gerentes e supervisores de vendas combinaram que raspariam a cabeça caso atingissem as metas impostas pelo empregador, a PR Distribuidora de Bebidas e Alimentos Ltda.

Na comemoração, vários deles cumpriram o combinado. O autor da ação, que ocupava o cargo de vendedor e disse que não havia consentido com o acordo, também teve sua cabeça raspada.

A empresa não conseguiu provar que houve a concordância do empregado para raspar sua cabeça. Segundo a decisão, "atos dessa natureza, em local de serviço, devem ser coibidos com disciplina por violarem direitos humanos, isto é, a vontade livre e consciente do trabalhador".


Ele é Blogueiro, Designer gráfico e Palestrante... Auditório, ele é bom ou não é?!?!?

COMPARTILHAR

POSTAGENS RELACIONADAS

Próxima
« Voltar
Anterior
Próxima »
A reprodução do conteúdo deste blog é permitida e incentivada, desde que citada e linkada a sua fonte.
Todas as postagens aqui são linkadas.